Impressões: BMW Série 8 retorna ao mercado em todo seu esplendor

in Notícias
Segunda geração do Série 8 reúne beleza e potênciaBMW

Produzido entre 1989 e 1996, o BMW Série 8 foi um grande cupê de quatro lugares que mexeu com o coração dos fãs da marca na época, com seu design empolgante, faróis escamoteáveis e um motor V12 de até 380 cv.

Bebendo da mesma fonte, a segunda geração está de volta, com um carro igualmente belo, só que bem mais potente e moderno.

Pelo porte, ele briga com o Mercedes-AMG E 55 CoupéBMW

Esteticamente faz jus às agressivas linhas do híbrido i8, chamando a atenção pelo longo entre-eixos, perfil esguio e traseira alta e musculosa.

Novo Série 8 traz generosos 2,82 metros de entre-eixos<span class=”s1″>282,2 cm</span>BMW

Até visto de cima ele é arrebatador, como comprova o teto, que cria um efeito de dupla bolha (típico dos antigos carros de corrida). Como opcional, a capota é feita de plástico reforçado com fibra de carbono (CFRP).

Capota é feita de plástico com fibra de carbono<span class=”s1″>capota é feita de plástico reforçado com fibra de carbono</span><span class=”s1″>capota é feita de plástico reforçado com fibra de carbono</span><span class=”s1″>capota é feita de plástico reforçado com fibra de carbono</span>BMW

O material também figura nos espelhos externos e no difusor traseiro. Mais comum é o alumínio, em capô, portas, suspensão dianteira e em parte da traseira.

Rodas de liga leve têm 20 polegadasBMW

Por dentro impressiona o refinamento dos materiais e a qualidade dos acabamentos. Mas também enchem os olhos a nova instrumentação digital (de 12,3 polegadas) e o novo design do largo console central.

As teclas de comando do ar-condicionado, porém, não convencem, pela sua construção pouco premium, uma crítica que já vimos no novo X5.

Difusor traseiro usa plástico reforçado com fibra de carbono (CFRP)BMW

Os bancos são amplos e com apoio lateral reforçado e permitem alargar o encosto e aumentar o apoio lombar, além de ter os ajustes elétricos tradicionais, ao menos na versão M850i que dirigimos em Portugal.

Uma pena que o grande conforto dos bancos dianteiros não se estenda aos dois apertados lugares atrás, suficientes só para quem tem menos de 1,50 metro de altura. É muito pouco para um veículo de 4,85 metros.

Emblema identifica a versão M850i xDrive CoupéBMW

Mas vamos deixar o espaço para trás, pois o que mais importa está lá na frente: o motor V8 biturbo de 530 cv. Ele é a estrela deste esportivo, como fica evidente no nosso test-drive no circuito português de Estoril.

Nas primeiras voltas, nota-se que o volante, de aro espesso e rígido como é norma na BMW, ajuda a comunicação entre as mãos e a pista.

Motor V8 rende 530 cv de potênciaBMW

Mas é a resposta muito precisa e direta da direção (com caixa variável) que seduz logo de cara, ficando menos sensível com o aumento da velocidade.

Passo para os modos Sport e Sport+ e o BMW endurece os amortecedores e deixa o ronco mais grave, o que se junta à resposta instantânea do V8 biturbo. Não é de admirar, pois tenho 76,6 mkgf às ordens do pé direito já a 1.800 rpm.

O porta-malas tem capacidade de 420 litrosBMW

Acoplado ao câmbio automático de oito marchas e à tração integral, vai de 0 a 100 km/h em absurdos 3,7s. Isso só reforça a sensação de que as estradas públicas não são suficientemente grandes para tanto carro.

Espaço para cargas pode aumentar com o rebatimento do banco traseiroQuatro Rodas

Por isso no autódromo posso explorar o M850i na sua plenitude. Esse cupê de 1.905 kg mostra uma desconcertante facilidade de entrada de curvas, sem sinais evidentes de tendência a sair de frente.

Grade traz aberturas em duplo rim integradas pelo contorno em preto brilhanteBMW

O mesmo vale para a facilidade com que traciona o asfalto mesmo no ápice das curvas mais fechadas, graças ao bloqueio eletrônico do diferencial traseiro e às barras estabilizadoras ativas (motores elétricos ajustam a resistência delas à torção, para conter o movimento da carroceria ou para ampliar o conforto).

Cupezão tem vocação para contornar curvas como poucosBMW

Até a frenagem esteve à altura das duras exigências de uma pista, como vimos nas seis voltas atrás do pace car guiado pelo piloto da BMW.

Quadro de instrumentos é todo digitalBMW

Todo esse prazer ao volante faz valer seus € 140.000, na Europa. Para o Brasil, onde deve chegar em 2019, podemos esperar algo próximo do M5, que hoje custa quase R$ 700.000.

Veredicto

A excelência tecnológica da BMW gerou um motor fabuloso e um chassi competente. E que design!

Ficha técnica

Preço: € 140.000
Motor: gasolina, dianteiro, longitudinal, V8, 4.395 cm3; 32V, injeção direta, biturbo, 530 cv entre 5.500 e 6.000 rpm, 76,5 mkgf entre 1.800 e 4.600 rpm
Câmbio: automático, 8 marchas, tração 4×4
Suspensão: duplos triângulos sobrepostos (dianteira) e multilink (traseira)
Freios: disco ventilado (dianteira e traseira)
Direção: elétrica
Pneus: 245/35 R20 e 275/30 R20
Dimensões: comprimento, 484,3 cm; largura, 190,2 cm; altura, 134,1 cm; entre-eixos, 282,2 cm; peso, 1.905 kg; porta-malas, 420 litros
Desempenho: 0 a 100 km/h em 3,7s, velocidade máxima: 250 km/h



Fonte: Revista 4 Rodas

    Cart